OS RISCOS DO SOL PARA A SAÚDE

0
290

Com a proximidade da estação mais quente do ano, a população já começa a enfrentar os dias ensolarados. Antes que o termômetro suba ainda mais, os dermatologistas recomendam: é necessário se proteger contra os males do sol. A exposição excessiva é o principal fator de risco do câncer da pele. As principais vítimas são as pessoas de pele clara, com maior sensibilidade à penetração dos raios ultravioletas.

A doença é identificada por um tumor formado por células que sofreram uma transformação e multiplicaram-se de maneira desordenada, dando origem a um novo tecido. Segundo o dermatologista e presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia regional Paraná, Carlos Augusto Silva Bastos, o câncer da pele é uma doença aparente, ou seja, para um observador, é fácil desconfiar de que alguma coisa está errada. “O câncer da pele pode apresentar cor escura, aumenta de volume ao longo do tempo, sangra com facilidade e tem aspecto verrugoso que não cicatriza”, orienta o médico.

Além do uso dos protetores solares, recomenda-se a exposição adequada ao sol – antes das 10 horas e depois das 16 horas. O uso de camiseta, chapéu e guarda-sol também é recomendado. Vale lembrar que mesmo em dias nublados, o filtro solar deve ser usado. “Pessoas com pré-disposição à doença, como as que têm pele clara, devem tomar certos cuidados. O surgimento de sardas é um sinal de que a pele já foi submetida à radiação excessiva ao longo do tempo e por isso a pigmentação foi alterada, o que significa um risco maior de adquirir o câncer da pele”, afirma Bastos.

Os cuidados também devem ser redobrados para as pessoas que moram nas regiões serranas e montanhosas. Como estão mais próximos do sol, a radiação é mais intensa do que quem vive em cidades ao nível do mar. A população que vive na região sul e sudeste têm um risco maior do que aqueles que moram no norte e nordeste, locais considerados quentes o ano todo. Estas localidades são afetadas diretamente pelo buraco na camada de ozônio, que protege a Terra dos raios ultravioletas, e por isso os raios solares nestes estados são mais intensos. A pele clara da população de origem européia, como alemães, italianos e poloneses, é outro agravante. Em virtude desta condição, os paranaenses devem ficar atentos às formas de prevenção do câncer.

O bronzeamento por máquinas também é extremamente nocivo. Com a proibição do bronzeamento artificial na semana passada (11/11), os equipamentos poderão ser usados apenas como fim terapêutico e para tratamentos de doenças de pele como psoríase e vitiligo. A radiação emitida por estes equipamentos é mais intensa que a natural e aumenta em 75% o risco de ter câncer da pele.

Tratamento

Ao observar qualquer alteração na pele ou imperfeição suspeita, a recomendação é procurar um dermatologista para fazer um exame clínico e precisar o diagnóstico. “Caso exista a suspeita do médico, o procedimento normal é submeter a mancha a uma biópsia. Somente este exame vai apontar se é uma ferida cancerígena ou não”, afirma o dermatologista.

Geralmente o diagnóstico é precoce, e as pessoas procuram ajuda quando a doença ainda está nos estágios preliminares, o que facilita o tratamento e aumenta as chances de cura em quase 100% dos casos.

Campanha Nacional

Mantendo seu compromisso de alertar a população sobre os perigos do câncer da pele, tipo de câncer mais comum no Brasil, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) realiza, no dia 5 de dezembro, a 11ª edição de sua já tradicional Campanha Nacional de Prevenção, com cobertura simultânea em 23 estados. No Paraná, a campanha será realizada nas seguintes cidades: Curitiba, Apucarana, Cascavel, Maringá, Guarapuava, Foz do Iguaçu, Paranaguá, Londrina e Toledo.

Com o objetivo de superar a marca de 43.800 consultas alcançadas em 2008, a entidade inova com a extensão do tempo de campanha de seis para oito horas nos postos de atendimento ao redor do país. Mais uma novidade é o lançamento de um Tour de Prevenção, que acontecerá nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro. Outra ação pioneira será a tentativa de certificação da campanha pelo Guinness World Records – líder global do setor de recordes mundiais.

“Queremos atestar a campanha da SBD como a maior campanha médica do mundo realizada em um único dia”, destaca o Dr. Omar Lupi, presidente da entidade, informando que todas as medidas já estão sendo tomadas junto ao grupo de fama internacional para que o feito seja alcançado e tenha sua autenticidade reconhecida.

Nas nove cidades do Paraná, a campanha acontece das 8 às 16 horas, ininterruptamente, em hospitais públicos credenciados, postos de saúde e tendas montadas em pontos de grande circulação. Os pacientes serão atendidos pelas equipes médicas e, apresentando suspeita de câncer da pele, serão encaminhados para tratamento totalmente gratuito. Nos postos, estão previstas atividades educativas, como aulas expositivas que trazem orientações sobre fotoproteção e dicas de como suspeitar do câncer da pele. Os endereços dos locais de atendimento poderão ser consultados pelo site da SBD (www.sbd.org.br).

No ano passado, do total de pessoas examinadas, 65,4% confessaram tomar sol sem qualquer proteção e 10,8% foram diagnosticadas com câncer da pele. Cerca de 350 indivíduos, o que corresponde a 0,8% do total, apresentaram melanomas malignos – considerado o câncer da pele mais perigoso.

Campanha Nacional do Câncer da Pele
Assessoria de imprensa
Literal Link Comunicação Integrada
www.literallink.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here