Câncer de boca está entre os dez tumores mais comuns no Brasil

0
72
(Foto internet)

Câncer de boca está entre os dez tumores mais comuns no Brasil
Menos de 10% das lesões são genéticas

(Foto internet)

O câncer de boca está entre os dez tumores mais comuns no Brasil e ocorre com mais frequência em homens com mais de 40 anos. As principais causas da doença são o cigarro e a bebida, já que menos de 10% das lesões são genéticas. É preciso ficar atento aos sinais: uma ferida que demora a cicatrizar, um caroço e manchas brancas ou vermelhas podem ser indícios da patologia.
De acordo com o bucomaxilofacial, Dr. José Flávio Torezan, a princípio, os tumores podem surgir por conta de dentes fraturados que permaneceram dentro da gengiva, dentaduras mal colocadas ou sem ajuste ideal, falta de higiene e cuidados bucais (escovação, uso do fio dental, tratamento de cáries e inflamações locais), assim evoluindo para o câncer se não tratados adequadamente e com prevenção. No Brasil, esse câncer assume bastante importância pela ocorrência no lábio, uma vez que se trata de um país tropical que sustenta também em sua economia atividades rurais nas quais os trabalhadores ficam expostos de forma contínua ao sol, e por isso, a recomendação nesse caso é evitar a exposição sem proteção (filtro solar e chapéu).
Os primeiros sintomas podem demorar a ser percebidos, por isso é importante consultar seu dentista regularmente. Esse tipo de câncer pode ser fatal, dessa maneira, consultas periódicas com um profissional preparado podem ajudar a detectar o problema logo de início, aumentando as chances de recuperação.
Sobre o diagnóstico avançado, o Dr. Torezan comenta que é possível notar dificuldade na fala, mastigação e deglutição, emagrecimento acentuado e todas as características com alteração citadas anteriormente. Dor e presença de alteração no tecido do pescoço (íngua) podem ser sinais de câncer de boca alocado há muito tempo e deve ser tratado pelo médico especialista. Depois de feita a confirmação do estado do indivíduo através da biopsia realizada pelo cirurgião dentista, estando ele com um tumor ainda em tempo de ser retirado, e com a constatação dos RAIO-X que verificam o nível de comprometimento dos ossos da mandíbula, por exemplo, é indicado realizar a cirurgia de remoção o mais rápido possível. Caso o câncer esteja em avanço, o tratamento deve ser cirúrgico, também com radioterapia e quimioterapia.

O Dr. José Flávio Torezan, cirurgião bucomaxilofacial em clínica privada com atividade exclusiva em cirurgia ortognática, cirurgia das ATM’S, cirurgias reconstrutivas maxilo faciais e tumores de boca; Atua nos Hospitais Israelita Albert Einstein, Sírio Libanês, Alemão Osvaldo Cruz, Santa Catarina, São Luiz e Hospital do Coração, em São Paulo/SP (http://www.ortognaticatorezan.com.br/).

Dr. José Flávio Torezan, o cirurgião bucomaxilofacial.

Com informações Luana Dourado
Assessoria Márcia Stival
E-mail: pauta2@marciastival.com.br
www.marciastival.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here