A aurora boreal pode ser vista no Repórter Eco

0
206
aurora boreal
aurora boreal
aurora boreal

Programa que vai ao ar no domingo (19/7) traz matéria com fotógrafo que explica como assistir ao fenômeno. Um dos maiores acervos de sons de animais e entrevista com uma antropóloga de 90 anos que tem muito a ensinar também são destaques desta edição. Vai ao ar às 17h30, na TV Cultura

O fenômeno é difícil de ser observado, mas o fotógrafo Marco Brotto conseguiu e explica o que é preciso para presenciar um dos maiores espetáculos da Terra: a aurora boreal. A reportagem está no Repórter Eco do próximo domingo (19/7), que também destaca uma grande coleção de sons de animais do mundo à disposição do público, e uma lição dada por Edith La Bate, antropóloga de 90 anos. O programa da TV Cultura vai ao ar às 17h30, com apresentação de Márcia Bongiovanni.

A paixão pelas auroras boreais mudou a vida do comerciante curitibano Marco Brotto. Visível apenas no hemisfério norte, o evento é de rara beleza e encantamento. Para presenciar o espetáculo, Marco se aventurou, pela primeira vez, em 2008, quando foi ao Alasca. Porém, não conseguiu presenciar a aurora boreal nem desistiu de seu objetivo. Alguns anos depois, foi para a Noruega, onde foi possível ver e se maravilhar com o fenômeno. A partir daí, aprendeu a fotografar o céu e não parou mais.

Hoje fotógrafo e cinegrafista, Marco fala da emoção das diferentes reações das pessoas ao assistirem a aurora boreal. “Não tem como descrever. A emoção de você estar lá é uma coisa muito diferente. Você vê o mundo de outra maneira… Tem gente que chora, tem gente que sai correndo… Mexe com a parte espiritual e com essa racional, de querer entender como funciona tudo isso”.

A aurora boreal acontece todos os anos no extremo norte da Terra. Mas não é fácil conseguir captar o fenômeno. É praticamente uma caçada. Marco conta que a busca começa bem antes da viagem, e esta exige tempo, dinheiro e disposição para enfrentar o frio. Mas no final ele recomenda: “Vale a pena contemplar essa maravilha”.

Um raro acervo deixado como herança pelo ornitólogo e professor da Unicamp (Universidade de Campinas), Jacques Vielliard, ficará disponível na rede de computadores. Trata-se de uma das maiores coleções de vocalizações de animais do mundo, com cerca de 30 mil sons, a maioria de aves, e faz parte do Museu de Zoologia da Unicamp. O Repórter Eco traz uma reportagem embalada por sons de diversas espécies, muitas em extinção.

Aos 90 anos, a antropóloga Edith La Bate diz que não se cansa de aprender e ensinar, na última reportagem desta edição.

O Repórter Eco é apresentado pela jornalista Márcia Bongiovanni. Integrante do jornalismo da TV Cultura de São Paulo, está no ar há 23 anos. É exibido aos domingos, às 17h30, com reexibição aos sábados, às 8h05.

Os releases da TV Cultura, TV Rá Tim Bum! e Rádios Cultura Brasil e FM estão disponíveis no portal cmais – cmais.com.br/imprensa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here